Acidentes de trânsito com crianças: como prevenir!
5 de agosto de 2019
Pai de bebê prematuro: esteja perto da mãe!
7 de agosto de 2019

Câmara Municipal formaliza apoio e entrega título às “Escolas do Bem” de São Paulo

escolas do bem

Nesta terça-feira, 6 de agosto, a Câmara de São Paulo serviu de palco para homenagear 12 escolas das redes pública e privada, que receberam oficialmente o título de “Escolas do Bem” das mãos da vereadora Janaína Lima (Novo).

A cerimônia, que teve transmissão ao vivo no Portal Oficial da Câmara, celebrou a adesão das escolas neste novo ciclo do programa, que foi criado há quatro anos, na região de Sorocaba (SP), com o objetivo de promover o bem-comum da cidade onde cada instituição atua.

Também ajuda no fortalecimento da gestão escolar, promove a capacitação dos educadores e orienta as famílias quanto aos cuidados para o desenvolvimento integral da criança de 0 a 6 anos.

A vereadora Janaína Lima foi convidada pelo Instituto Noa para fazer esse reconhecimento às escolas, por defender e aprovar, em seu mandato, leis que garantem o desenvolvimento pleno da primeira infância no município de São Paulo, como o Marco Legal e o Plano Municipal da Primeira Infância.

A jornalista e fundadora do Instituto Noa, Lucy de Miguel, se entusiasma ao relembrar a história do Programa. “Nós acreditamos que as escolas, além do ensino, fazem e podem fazer muito mais para a transformação da sociedade. Como o próprio nome sugere, nós convidamos as escolas a integrarem uma grande rede do bem, na qual elas trocam experiências e somam esforços para um mundo melhor”, define.

Lucy destaca a importância da parceria com o poder público e com a imprensa para o sucesso dessa iniciativa. “Esse reconhecimento é essencial para dar visibilidade e multiplicar o alcance das nossas ações. Defendemos o engajamento de todos para obtermos resultados mais efetivos”.

Objetivos da ONU norteiam projetos

Ao se associar ao Programa Escolas do Bem, as escolas contribuem com iniciativas para alcançar sete dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela ONU: Melhoria da Nutrição, Saúde, Educação de Qualidade, Redução das Desigualdades, Consumo Responsável, Cultura da Paz e Parceria pelas metas.

Como parte dessa proposta, as escolas são incentivadas a realizar diversas ações ao longo do ano. Alguns desses projetos são pilares – ou seja, todas as instituições são convidadas a se engajar.

Mas as “Escolas do Bem” também dispõem de autonomia para desenvolver suas próprias ações, desde que estejam alinhadas com esses valores.

Como um dos exemplos mais bem-sucedidos, sempre desenvolvidos em parceria com outras instituições, pode-se destacar a Campanha do Lacre Solidário, que troca lacres de alumínio (140 garrafas pet cheias) por uma cadeira de rodas.

Há, ainda, outras ações como a Feira de Troca de Brinquedos, desenvolvida em parceria com o Instituto Alana, e a campanha de reciclagem de materiais de escrita. juntamente com a Terracycle.

Outro benefício para quem recebe o título de “Escolas do Bem” é um aplicativo que traz notícias sobre a Primeira Infância, disponível em duas versões, uma para os pais e outra para educadores.

A ideia é ampliar o conhecimento dos adultos que cuidam das crianças, reforçando os vínculos afetivos e promovendo mudanças positivas de comportamento. Desta forma, toda a sociedade ganha consciência sobre os cuidados primordiais nesta fase tão importante da vida da criança.

Conheça as 12 escolas de São Paulo que foram reconhecidas

Como se tornar uma Escola do Bem

Para se tornar uma Escola do Bem, instituições da rede particular financiam todos os custos do projeto e elegem uma escola pública do seu bairro para ser apadrinhada e se beneficiar igualmente com as ações programa.

“Em troca, elas recebem o título de Escolas do Bem, um selo, participam de cursos de capacitação e recebem todo o suporte necessário para implementar, executar e divulgar as ações, além de interagir com outros gestores com os mesmos ideais”, explica.

A iniciativa, que começou na rede particular, foi ampliada. E a maneira encontrada para viabilizar isso é motivo de festa. “Nossa missão é a de propagar conhecimento e mobilizar instituições em iniciativas que beneficiem a todos. Por isso, nós sugerimos que cada instituição privada adote uma escola pública”, finaliza Lucy.

Sobre o Programa Escolas do Bem

Em seu quarto ano de atividade, o Programa Escolas do Bem, coordenado pelo Instituto Noa, já beneficiou cerca de 20 mil famílias em 16 cidades do estado de São Paulo, envolvendo 105 escolas públicas e privadas.

A iniciativa tem como objetivo ampliar o conhecimento dos adultos quanto aos cuidados para o desenvolvimento integral da criança entre 0 e 6 anos, além de aumentar o bem-estar das famílias em prol de uma sociedade melhor.

Também atua no fortalecimento da gestão escolar, promovendo a capacitação dos educadores e dos gestores.

Devido à importância de se trabalhar com temas tão relevantes para o desenvolvimento social, o projeto vem expandindo sua atuação por outras cidades do Brasil. Mais informações no site www.escolasdobem.com.br.

Serviço: Cerimônia de Entrega do Título de “Escolas do Bem”