Xixi na cama: transtorno afeta 15% das crianças com mais de cinco anos de idade

Xixi na cama

O período de férias, com as crianças em casa, pode ser uma excelente oportunidade para pais e filhos estarem mais próximos e aproveitarem para juntos, superarem o xixi na cama. A Enurese Noturna é um transtorno que causa a perda involuntária e intermitente da urina durante o sono.

O apoio da família é fundamental para o sucesso do tratamento, pois, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), persistindo os sinais da doença após os 5 anos de idade, crianças e adolescentes podem sofrer graves consequências psicológicas e sociais ao longo da vida.

Prevenção

Para evitar que a criança faça xixi na cama, é preciso incluir uma avaliação com um profissional adequado que irá propor procedimentos, com metas e resultados esperados. Este planejamento inclui uma série de medidas comportamentais, como:

1.  Ajuste do consumo adequado de líquidos em horários determinados – evitar a ingestão de líquidos ou alimentos com cafeína e chocolate, com no mínimo 2 horas antes da criança ir dormir.
2.  Criar o hábito de fazer xixi antes de deitar e logo ao acordar também é recomendado e apresenta bons resultados.
3.  Alimentação balanceada, rica em fibras e exercícios físicos também contribuem para uma noite seca.
4.  Em último caso, medidas terapêuticas como uso de medicações também podem ser consideradas.

Inserir pequenas mudanças na rotina da criança que faz xixi na cama com frequência pode significar muito. Alguns tratamentos exigem medidas que podem ser um pouco cansativas para os pais, e as férias pode ser uma oportunidade para conseguir manter o tratamento, sem ser vencido pelo cansaço.

Além disso, é um período de maior motivação e bem-estar e o clima positivo pode ser utilizado para se conseguir resultados mais significativos com o tratamento.

Papel dos pais

De acordo com o Dr. Atila Rondon, urologista, os pais devem ficar atentos, pois a mudança de rotina também pode apresentar um efeito inverso e um relaxamento das medidas sugeridas.

“Nestes dias que estão em casa, as crianças tendem a acordar mais tarde, aumentando o período em que pode haver a perda urinária. A alimentação pode piorar e itens como uma dieta pobre em fibras ou o consumo exagerado de refrigerantes, podem reverter os bons resultados obtidos no início do tratamento”, diz o especialista.

Valorizar as noites secas também é uma etapa importante, que precisa ser feita com carinho e paciência. Uma dica é utilizar um calendário e marcar com adesivos coloridos ou estrelas sempre que a criança conseguir ficar seca durante a noite. Portanto, propor algum passeio especial em família, após uma semana sem a criança acordar molhada, também é uma maneira de aproximar e proporcionar mais união à família.

Centros de apoio em todo o país podem ser encontrados pelo site: http://semxixinacama.com.br/centros-de-apoio. Além disso, o site tem uma área destinada para perguntas e respostas sobre o tema, vídeos e um blog.


Fonte: Dr. Atila Rondon, urologista com atuação em urologia pediátrica.

 

Leia também:

 

Desfralde: momento certo evita traumas e frustrações

 

O reflexo dos pais na saúde mental de seus filhos

 

Cinco fatos relevantes sobre a saúde bucal infantil

 

Este conteúdo é publicado na revista NA MOCHILA e compartilhado pelo Programa Escolas do Bem, do Instituto Noa.